quinta-feira, 30 de setembro de 2010

FIBRAS ALIMENTARES

Os benefícios do consumo de fibras são bem conhecidos, entre eles, a melhora das funções intestinais, a proteção contra doenças cardiovasculares e a redução do risco para certos tipos de câncer. Mesmo não fornecendo nutrientes para o organismo, elas são essenciais na nossa dieta.


As fibras são encontradas somente em alimentos de origem vegetal, fazendo parte de grãos, vegetais e frutas, que não são digeridas pelo nosso organismo. As fibras passam quase intactas pelo nosso estômago e intestino, onde são fermentadas pelas nossa flora bacteriana e são eliminadas pelas fezes. Sem o consumo de fibras, pode ocorrer constipação e, até levar a desordens como diverticulite e hemorróidas.


FIBRAS SOLÚVEIS E INSOLÚVEIS



Podemos classificar as fibras em solúveis e insolúveis. A principal fibra solúvel é a pectina, encontrada em frutas (laranja, maçãs), vegetais (cenoura), nos farelos de aveia e nas leguminosas. É classificada como solúvel por reter água formando uma estrutura em forma de gel. Ajuda na diminuição do nível de colesterol, prevenindo o aparecimento de doenças cardiovasculares.

As fibras solúveis contribuem ainda para uma diminuição na glicose sangüínea devido a uma redução na absorção dessa substância.
As fibras insolúveis são encontradas em todos os alimentos vegetais. Sua maior fonte são os grãos de cereais, como milho, soja, grão-de-bico e nas frutas consumidas com casca, como a maçã, pêra e ameixa. Ajudam na prevenção de algumas doenças como a constipação, diverticulite, hemorróidas e o câncer colo-retal.



A principal função desse tipo de fibra é aumentar a velocidade do trânsito intestinal. Assim, diminuem a exposição do cólon a agentes que provocam câncer, fazendo com que dietas ricas em fibras insolúveis atuem prevenindo o aparecimento de câncer nesse local. As fibras podem ser utilizadas no controle da obesidade pois não são digeridas pelo organismo e não fornecem calorias. Desta forma, elas dão uma boa sensação de saciedade, aumentando o volume do bolo alimentar, mesmo quando pequenas quantidades de calorias são ingeridas.


Atenção! A ingestão de fibras deve ser acompanhada de um maior consumo de líquidos ao longo do dia.

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

QUE BANANA SAFADA, KKKKKKKKKK!!!!!!!!!!!!!!!!

Alimentos funcionais.

São alimentos ou partes de um alimento que quando associados a uma dieta adequada proporcionam comprovadamente benefícios à saúde, podendo prevenir e controlar doenças, satisfazer os requerimentos nutricionais tradicionais e são seguros para o consumo sem prescrição médica.

De maneira geral, os alimentos funcionais são vistos como promotores de saúde e podem estar associados à diminuição do risco de algumas doenças crônicas.

Os alimentos funcionais não podem ser indicados para tratar doenças, pois não são medicamentos!
Sua função é auxiliar o organismo a se fortalecer para combater efeitos indesejáveis ou prevenir males futuros.

Para que os benefícios sejam alcançados é necessário que o consumo desses alimentos seja regular

Alguns alimentos funcionais:

ALHO e CEBOLA têm alicina, um estimulante do sistema imunológico, redutora de colesterol e triglicerídeos, além de combater os radicais livres, que são cancerígenos e hipertensivos.

 AVEIA contém a betaglucana, que atua na redução do colesterol;

 BRÓCOLIS, COUVE, COUVE-FLOR, COUVE DE BRUXELAS, REPOLHO E RABANETE são ricos em glicosinolatos, agindo na prevenção e tratamento do câncer de mama;

FRUTAS CÍTRICAS em geral possuem limonóides, que atuam na prevenção e controle do câncer e na estimulação do sistema imunológico;

LINHAÇA contém lignana, que modula o sistema imunológico, reduz o colesterol e o risco de doenças cardiovasculares;

 SOJA possui a isoflavona, que atua na prevenção e controle dos sintomas da menopausa, osteoporose e câncer de mama e útero;

 TOMATE, GOIABA e outros alimentos vermelhos contêm um pigmento chamado licopeno, que age na prevenção e controle do câncer de próstata, pulmão e estômago, no combate aos radicais livres e na estimulação do sistema imunológico.

VINHO TINTO, UVA possuem o componente funcional flavonóide, que é antioxidante e previne doenças cardiovasculares.

PEIXE, ÓLEOS (soja, girassol, canola), AZEITE DE OLIVA, ALGAS MARINHAS, GERGELIM, AMÊNDOA, CASTANHAS, MILHO e CENTEIO possuem componentes funcionais como: Ácidos graxos ômegas-3 e 6, que baixam os níveis de colesterol LDL e triglicerídeos, controlam inflamações e são anticoagulantes (importante na hipertensão).


OBSERVAÇÃO:


Tais alimentos não são milagrosos, eles devem fazer parte de uma alimentação equilibrada, pois não adianta o indivíduo consumir alimentos com propriedades funcionais e também alimentos de péssima qualidade.

domingo, 11 de julho de 2010

Desenho para colorir do Dia dos Pais.

Lembrancinha para o papai.

Desnutrição infantil.

O QUE É A DESNUTRIÇÃO?


A desnutrição é uma doença que enfraquece a pessoa e pode acontecer em qualquer idade, mas ocorre mais facilmente em bebês e crianças menores de 5 anos. Ela é mais grave quando ocorre nessa idade, pois, pode deixar as crianças com problemas de saúde para o resto da vida.

A desnutrição acontece quando a criança não se alimenta direito. Não se alimentando bem, ela perde peso, deixa de crescer e enfraquece. Além de enfraquecer, a criança adoece e cada vez que fica doente fica ainda mais fraquinha. Nesse ciclo vicioso, se ela não for tratada, seu estado de saúde fica muito prejudicado e a chance de morrer é grande.

É muito importante que a desnutrição seja tratada logo nos primeiros sinais da doença. Quando tratada, a criança desnutrida recupera a saúde e volta a ter o peso e a estatura adequados para a sua idade.
 
A melhor prevenção para a desnutrição é o aleitamento materno exclusivo até os 6 meses de idade. Isto quer dizer que até os 6 meses, a criança só precisa receber o leite materno, que deve ser oferecido sempre que ela pedir.


O leite materno é o alimento ideal para as crianças de todos os níveis sócio-econômicos. Ele pode satisfazer todas as necessidades nutricionais das crianças durante os primeiros 6 meses de vida. O aleitamento produz importantes efeitos positivos no desenvolvimento da criança e na recuperação da mãe após o parto. Mesmo quando a criança apresentar cólica, dor de barriga ou “sede” em dias quentes, não se deve dar outro líquido além do leite materno

domingo, 4 de julho de 2010

Amizade

Números ilustrados.

Dez passos para uma alimentação saudável.


1- Faça pelo menos 3 refeições (café da manhã, almoço e jantar) e 2 lanches saudáveis por dia. Não pule as refeições.

2- Inclua diariamente 6 porções do grupo do cereais(arroz, milho, trigo pães e massas), tubérculos como as batatas e raízes como a mandioca/macaxeira/aipim nas refeições. Dê preferência aos grãos integrais e aos alimentos naturais.

3- Coma diariamente pelo menos 3 porções de legumes e verduras como parte das refeições e 3 porções ou mais de frutas nas sobremesas e lanches.


4- Coma feijão com arroz todos os dias ou , pelo menos, 5 vezes por semana. Esse pra¬to brasileiro é uma combinação completa de proteínas e bom para a saúde.


5- Consuma diariamente 3 porções de leite e derivados e 1 porção de carnes, aves, peixes ou ovos. Retirar a gordura aparente das carnes e a pele das aves antes da preparação torna esses alimentos mais saudáveis!

6- Consuma, no máximo, 1 porção por dia de óleos vegetais, azeite, manteiga ou margarina. Fique atento aos rótulos dos alimentos e escolha aqueles com menores quantidades de gorduras trans.

7- Evite refrigerantes e sucos industrializados, bolos, biscoitos doces e recheados, sobremesas doces e outras guloseimas como regra da alimentação.






8-Diminua a quantidade de sal na comida e retire o saleiro da mesa. Evite consumir alimentos industrializados com muito sal (sódio) como hambúrguer, charque, sal-sicha, lingüiça, presunto, salgadinhos, conservas de vegetais, sopas, molhos e temperos prontos.

9-Beba pelo menos 2 litros (6 a 8 copos) de água por dia. Dê preferência ao consumo de água nos intervalos das refeições.

10-Torne sua vida mais saudável. Pratique pelo menos 30 minutos de atividade física todos os dias e evite as bebidas alcoólicas e o fumo. Mantenha o peso dentro de limites saudáveis.

sexta-feira, 2 de julho de 2010

Engraçado!


Será esse nosso futuro?????????

Vc mente?????????



Às vezes é melhor mentir do que contar a verdade.

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Desenhos da copa p colorir.



Vamos BRASIL!!!!!!!!!!!!!!

Receitas de aproveitamento integral dos alimentos

Bife de casca de banana


Ingredientes

• Cascas de 6 bananas maduras
• 3 dentes de alho
• 1 xícara de farinha de rosca
• 1 xícara de farinha de trigo
• 2 ovos
• Sal a gosto


Modo de Preparo

Higienizar as cascas das bananas e lavar em água corrente.

Cortar as pontas. Retirar as cascas na forma de bifes, sem parti-las. Amassar o alho e colocar numa vasilha junto com o sal. Colocar as cascas das bananas nesse molho. Bater os ovos como se fosse omelete. Passar as cascas das bananas na farinha de trigo, nos ovos batidos e, por último, na farinha de rosca, seguindo sempre esta ordem. Fritar as cascas em óleo bem quente. Deixar dourar dos dois lados. Servir quente.


Bolinho de arroz


Ingredientes

• 2 xícaras (chá) de arroz cozido
• 1 colher (sopa) de cebola picada
• 1/2 dente de alho
• 2 colheres (sopa) de salsinha
• 2 ovos
• 1 xícara (chá) de farinha de trigo
• sal a gosto

Modo de Preparo

Misturar todos os ingredientes e formar os bolinhos. Assar
em forno médio por 30 minutos ou fritar em óleo quente.

 
Bolinhos de cascas de batata


Ingredientes

• 2 xícaras de casca de batata cozidas e batidas
• 2 xícaras de farinha de trigo
• 2 ovos
• 2 colheres de salsinha picada
• sal a gosto
• 1 colher (sobremesa) de fermento em pó
• óleo para fritar

Modo de Preparo

Ferver as cascas de batata e bater no liquidificador. Colocar a massa numa tigela, acrescentar os ovos, a farinha, sal e o fermento. Misturar bem. Aquecer o óleo e ir fritando os bolinhos às colheradas.



Patê de talos

Ingredientes

• 1 colher (sopa) de óleo
• 1 cebola pequena
• 1 colher (chá) nivelada de sal
• salsa e cebolinha a gosto
• 1 xícara (chá) de talo (de couve ou outro de sua escolha) cozido
• 1/2 xícara (chá) de molho de maionese industrializada


Modo de Preparo

Aquecer o óleo e refogar a cebola picada. Acrescentar os talos picados e cozidos, a salsa e a cebolinha e deixar refogar. Colocar o sal, deixar esfriar e acrescentar a maionese. Bater no liquidificador. Utilizar para fazer canapés e passar em bolachas salgadas. Pode ser feito com talo de agrião, espinafre, brócolis etc.


Fonte: MESA BRASIL SESC.

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Aproveitamento integral dos alimentos.



Cascas, talos, sementes...

Pouca gente sabe, mas as partes vistas como “menos nobres” dos alimentos têm grande valor nutritivo! São ricas em vitaminas, além de ferro, potássio e outros nutrientes.

Ou seja, aproveitar integralmente os alimentos não faz bem apenas ao meio ambiente e à sociedade, mas também ao corpo e à mente.





Alimentação é a base da vida e dela depende o estado de saúde do ser humano.


O desconhecimento dos princípios nutritivos do alimento, bem como o seu não aproveitamento, ocasiona o desperdício de toneladas de recursos alimentares.

Devemos aproveitar tudo que o alimento pode nos oferecer como fonte de nutrientes.

A alimentação integral possui como princípio

básico a diversidade de alimentos e a complementação de refeições, com o objetivo de

reduzir custo, proporcionar preparo rápido e

oferecer paladar regionalizado.

Utilizar o alimento em sua totalidade significa mais do que economia. Significa usar os recursos disponíveis sem desperdício, reciclar, respeitar a natureza e alimentar-se bem, com prazer e dignidade.

Como evitar o desperdício :


COMPRAR BEM: preferir legumes, hortaliças e frutas da época.

CONSERVAR BEM: armazenar em locais limpos e em temperaturas adequadas a cada tipo de alimento.

PREPARAR BEM: lavar bem os alimentos, não retirar cascas grossas e preparar apenas a quantidade necessária para a refeição de sua família.

O combate ao desperdício pode começar de maneiras bem simples, como através do aproveitamento integral dos alimentos, além do planejamento do que se coloca no prato (para não precisar jogar fora) e da programação do consumidor antes de ir ao supermercado (para comprar apenas o necessário).

É importante a utilização de cascas, talos e folhas, pois o aproveitamento integral dos alimentos, além de diminuir os gastos com alimentação e melhorar a qualidade nutricional do cardápio, reduz o desperdício de alimentos, e torna possível a criação de novas receitas.

Esse conceito deve ser realizado no dia a dia por qualquer pessoa, independentemente de sua classe social ou econômica.

Desperdício de alimentos.

No Brasil, aproximadamente 70 mil toneladas de alimentos são jogadas no lixo diariamente, o que torna esse lixo um dos mais ricos do mundo.


Nós brasileiros perdemos mais de 12 bilhões de reais por ano com o desperdício de alimentos. Os supermercados jogam fora 13 milhões de toneladas de alimentos por ano. Nas feiras livres de São Paulo, mais de mil toneladas vão para o lixo todos os dias.

Segundo o IBGE, o desperdício no consumo doméstico de alimentos chega a 20%.

A forma mais comum de desperdício caseiro é a distorção no uso do alimento. Talos, folhas e cascas são, muitas vezes, mais nutritivos do que a parte dos alimentos que estamos habituados a comer. Um quarto de toda produção nacional de frutas, verduras e legumes não são aproveitados.


quarta-feira, 9 de junho de 2010

Dia dos namorados.

Constipação intestinal.


A constipação intestinal, também chamada de “prisão de ventre”, é uma condição estabelecida pela presença dos seguintes sintomas:

• a freqüência ou quantidade de evacuações é reduzida;
• há necessidade de força excessiva para evacuar;
• as fezes são fragmentadas ou endurecidas;
• há sensação de evacuação incompleta;
• há sensação de obstrução ao evacuar.

Algumas causas da constipação intestinal são:


• Redução da ingestão de fibras através da alimentação;
• Baixa ingestão de líquidos;
• Enfraquecimento da musculatura abdominal (vida sedentária, obesidade);
• Reflexos evacuatórios não atendidos por longos períodos;
• Doenças envolvendo o intestino (tumores, processos inflamatórios, etc.), doenças endócrinas e metabólicas (hipotireoidismo, diabetes, etc.);
• Uso de alguns medicamentos (alguns analgésicos, diuréticos, medica-mentos com ferro, etc.), inclusive o uso prolongado de laxativos.

Como prevenir a constipação intestinal?


• Alimente-se em horários regulares;
• Mastigue bem os alimentos;
• Prefira refeições mais variadas, ricas em frutas, verduras e cereais;
• Reduza a quantidade de gordura ingerida;
• Evite bebidas alcoólicas, chocolate, café, e alimentos que levem a produção excessiva de gases, como: brócolis, cebola, couve-flor, feijão;
• Beba bastante líquido, mais ou menos 2 litros por dia;
• Tente determinar um horário específico para evacuação;
• Obedeça, sempre que possível, à vontade de evacuar;
• Evitar distrações durante a evacuação, como ler revistas, jornais, falar ao telefone, etc;
• Pratique exercícios regularmente;
• Não utilize laxantes por conta própria. Se você não consegue evacuar sem o uso desses medicamentos, procure um médico!
• Fazer o uso de alimentos quentes ou frios no desjejum para estimular a movimentação do intestino;

Alimentos laxativos

Abacate, abacaxi, abobrinha, acelga, agrião, alface, ameixa preta, berinjela, beterraba, brócolis, cenoura crua, chicória, couve, farinha de aveia, aveia em flocos,, feijão, laranja, mamão, passas, quiabo, tangerina, uva, vagem, inhame e etc...

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Fenilcetonúria

              A fenilcetonúria é uma doença caracterizada por uma anomalia congênita onde a ausência de uma enzima que processa o aminoáciodo com o nome de fenilalanina faz com que ele se acumule no organismo tornando-se tóxico. Essa toxicidade ataca principalmente o cérebro e tem efeitos irreversíveis, como retardo metal permanente.

                O diagnóstico da fenilcetonúria pode ser feito no recém-nascido por meio de triagem neonatal, mais conhecido como “teste do pezinho”, ainda na maternidade.

                 O diagnóstico precoce permite que os cuidados necessários sejam tomados desde o princípio, evitando uma série de efeitos indesejados.

                  A substância fenilalanina, é um composto natural encontrado em proteínas, sejam elas vegetais ou animais, como no aspartame, peixes, frango, arroz e feijão, e é essencial para o funcionamento correto do organismo, mas é muito perigosa para quem sofre com a fenilcetonúria, e por isso, qualquer alimento que contenha mais do que 5% de proteína é contra-indicado para fenilcetonúricos.

                  Sem ter a confirmação da doença, e os cuidados com a alimentação, já no primeiro ano de vida os pais começam a perceber atraso no desenvolvimento psicomotor, hiperatividade, convulsões, tremores e microcefalia. Sem o diagnóstico e orientações médicas seguidas corretamente, a fenilcetonúria leva a convulsões, problemas de pele e cabelo, deficiência mental e até mesmo invalidez permanente

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Diet e light

Você entende a diferença das expressões “Diet” e “Light” utilizadas nos rótulos dos produtos alimentícios?

De maneira geral podemos diferenciar os alimentos Diet e Light das seguintes formas:

DEFINIÇÃO:
DIET
           São alimentos adequados para utilização em dietas diferenciadas ou opcionais, atendendo às necessidades específicas dos portadores de várias doenças. Normalmente, apresentam restrição do nutriente que não se pode ingerir (açúcares, gorduras, sódio, proteínas, colesterol).
 
 
LIGHT
            São alimentos cujo valor energético (calorias) ou conteúdo de algum nutriente (açúcares, gorduras, sódio, etc) é baixo ou reduzido em pelo menos 25%, quando comparado ao produto na sua versão tradicional ou convencional.
 
INDICAÇÃO
 

DIET
Para dietas com restrição de carboidrato (diabéticos);
Para dietas com restrição de sódio (hipertensos);
Para dietas com restrição de gorduras (pessoas com colesterol alto);
Para dietas com restrição de proteínas;
Para dietas com ingestão controlada de açúcares.

LIGHT
 
 Para dietas de emagrecimento ou controle de peso.
 
SAIBA MAIS
 
1. O alimento diet tem sempre menos calorias que o produto convencional?


Não obrigatoriamente, isso dependerá dos nutrientes restringidos no produto. Portanto, compare a tabela nutricional para saber a composição e a quantidade dos ingredientes presentes.

2. O alimento light tem sempre menos calorias que o produto convencional?

Depende. Se ele for light, porque tem baixo ou reduzido valor energético, ele será menos calórico. Mas, por exemplo, se ele for light porque tem teor reduzido de colesterol, seu valor calórico poderá ser igual ao do alimento tradicional.

3. Diet é um produto somente “sem açúcar”?

Não necessariamente. O produto diet tem, na maioria das vezes, restrição de algum nutriente, seja esse carboidrato (açúcares), gordura, sódio (sal) ou outros.